top of page

A importância da inteligência emocional na educação infantil

A inteligência emocional vem ganhando cada vez mais espaço nas escolas, em um movimento que acompanha uma tendência do mercado de trabalho. Aos adultos, por exemplo, são exigidas habilidades socioemocionais que, nem sempre, foram trabalhadas corretamente. E quando falamos corretamente, queremos dizer desde a infância.

Sim, trabalhar a inteligência emocional ainda na educação infantil é essencial para garantir que os pequenos consigam entender as suas emoções e, consequentemente, enfrentem os desafios com mais facilidade.

Essencial para a construção do equilíbrio, o processo é considerado o primeiro passo para se ter um comportamento mais saudável, já que permite que os pequenos entendam o que acontece com eles. Os resultados, aliás, vão além: uma vez que conseguem controlar melhor os sentimentos – e sabem identificá-los –, as crianças apresentam melhoras em diferentes situações da vida. Também passam a se concentrar mais e melhoram o seu rendimento escolar.

O que é inteligência emocional?

Antes de mais nada, é importante entender a inteligência emocional. Segundo a psicologia, o termo se refere à capacidade de identificar e lidar com as emoções individuais e reconhecer os sentimentos do outro para lidar com elas de forma sensata e, claro, inteligente.

Na prática, esse conceito ajuda a entender os sentimentos e aprender a controlá-los de maneira equilibrada, para que as experiências possam, sempre que possível, ser convertidas em aprendizado. É uma forma, também, de se reconhecer no outro e lidar com as emoções alheias, garantindo a construção de relações baseadas no respeito e na empatia.

Sabemos que isso nem sempre é fácil e a construção dessa habilidade não acontece do dia para a noite. Por isso, é importante incentivar a inteligência emocional ainda nos primeiros anos de vida.

LEIA MAIS: Qual a função da psicopedagogia no processo de alfabetização?

Papel da inteligência emocional na infância

inteligencia-emocional-na-infancia

Nada melhor do que nomear os sentimentos e saber exatamente o que estamos sentindo, não é mesmo? Você, provavelmente, não se lembra de um dia em que sentiu algo que não sabia se era raiva ou medo, por exemplo. Mas isso certamente aconteceu.

A inteligência emocional vem justamente para desmistificar esse processo. É uma forma saudável de aprendermos com os sentimentos e emoções que nos rodeiam diariamente.

Quando trabalhada ainda na infância, o exercício se torna natural e permite que as crianças se sintam acolhidas e preparadas para encarar seus problemas. Na vida adulta o reflexo é positivo também, uma vez que é quase certo que eles envelheçam com muito mais segurança e independência, atingindo o sucesso na vida pessoal e profissional.

Além disso, é importante dizer que não existe um bom motivo para deixar de trabalhar essa habilidade na infância. Pelo contrário, a inteligência emocional permite que as crianças aprendam a:

  1. Controlar os seus impulsos;

  2. Analisar as situações/problemas com mais clareza;

  3. Praticar a empatia e resiliência;

  4. Trabalhar a autoestima e autonomia;

  5. Construir relações saudáveis e muito mais.

Como trabalhar a inteligência emocional nas crianças

Trabalhar a inteligência emocional na infância não é nenhum bicho de sete cabeças. Mas é importante que a escola e a família atuem em sintonia e saibam estimular essas habilidades de forma eficiente. Confira algumas dicas:

Nomeie as emoções

O primeiro passo para trabalhar a inteligência emocional é ensinar os pequenos sobre as emoções – isso inclui nomear e ensinar a diferenciar cada tipo de sentimento. Não há uma forma correta de fazer isso, mas histórias e livros podem ser grandes aliados neste momento, assim como brincadeiras lúdicas, teatrinhos a até emojis.

LEIA TAMBÉM: Contação de histórias: como ela ajuda na educação das crianças?

Ensine a verbalizar as emoções

De nada adianta reconhecer os sentimentos se isso não puder ser verbalizado. Assim, é importante que os pequenos se sintam à vontade para conversar e sejam encorajados a verbalizar suas emoções.

Dê exemplo

As crianças aprendem pelo exemplo. Por isso, trate todos com respeito, evite acusações, risos ou qualquer tipo de comentário que deixem as crianças envergonhadas. Preste atenção no comportamento dos pequenos e acolha sempre que necessário.

Por fim, vale lembrar que desenvolver a inteligência emocional na educação infantil é tão importante quanto ensinar o alfabeto ou os números. Com leveza, criatividade e diversão, as crianças certamente aprenderão a lidar com os seus sentimentos e emoções.

Acompanhe as melhores dicas sobre aprendizagem infantil!

Facilitar o processo de aprendizagem infantil, capacitando pais e profissionais, é o objetivo da Oficina da Inteligência. Fundada pela psicopedagoga Carla Silva e pelo CEO Willian Moreira, a plataforma visa transformar as relações humanas e melhorar o processo de ensino oferecendo treinamentos a professores.

Com uma visão 360º, o site oferece também aos pais todo o conhecimento necessário para que possam participar desta jornada de conhecimento e desenvolvimento. Entre em contato!

#OficinadaInteligência #processodeaprendizagem #processodealfabetização #neurociência #inteligênciaemocional #inteligênciaemocionalnainfância #habilidadessocioemocionais

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page