Perguntas frequentes

 

As dúvidas são muitas e, normalmente, informações equivocadas estão sendo passadas para pais, professores e para adultos que enfrentam dificuldades no seu processo de aprender.

Diante disto, tentarei aqui responder algumas destas questões.

 

P. O meu filho demora um pouco para ler e entender as matérias. Por que a escola me orientou a procurar uma Psicopedagoga?

 

R: Como a Psicopedagogia se debruça especificamente sobre as questões afins àcognição –ato de conhecer ou de captar, integrar, elaborar e exprimir informação-e afetividade, que estão diretamente ligadas à maneira como as pessoas aprendem, ela investiga quais são os fatores que estão interferindo na aprendizagem e trata as dificuldades que o aprendente está enfrentando.

Possivelmente a professora ou o professor identificou em seu filho a necessidade de um olhar diferenciado para o processo de aprendizagem dele.

Geralmente as dificuldades encontradas pelas pessoas, que estão em eterno processo de aprendizagem, são de ordens pedagógica, afetiva e/ou orgânica.

A maioria das crianças e adolescentes atendidos no consultório é encaminhada por educadores que identificaram as dificuldades de aprendizagem de seus alunos.

A desmotivação, a desatenção, as dificuldades com a memória, a agitação constante, a leitura lenta, a compreensão do conteúdo lido muito comprometida, a dificuldade com a matemática, dentre outras matérias, o “branco” na hora de realizar as provas e a preguiça são alguns dos sintomas apresentados pelos alunos, que motivam os educadores encaminhá-los para uma avaliação e tratamento psicopedagógico.

 

P. Para quê é indicada?

 

R: A Psicopedagogia é indicada quando uma pessoa estiver enfrentando problemas na aprendizagem, inclusive no trabalho.

Além das crianças e adolescentes com problemas na escola, adultos que apresentam dificuldades tanto nas atividades da vida diária como no desempenho acadêmico e/ou profissional, podem contar com os Psicopedagogos que os auxiliarão na identificação das causas destas dificuldades e indicarão o tratamento adequado.

 

P. Quem é a pessoa que trabalha com a Psicopedagogia, como é seu trabalho e como avalia o problema?

 

R: Os profissionais da Psicopedagogia são especialistas na área, ou seja, são formados em cursos de pós-graduação. Atualmente é necessária a graduação em Psicopedagogia.

Além desta formação os Psicopedagogos precisam estudar muito as teorias da aprendizagem, os processos mentais envolvidos no aprender e fundamentalmente as questões afetivas, orgânicas e ambientais das quais a aprendizagem sofre influência.

Atualmente os achados das Neurociências têm contribuido muito para a prática Psicopedagógica. Cabe ao profissional estar atualizado quanto à essas contribuições.

O trabalho, ou seja, a atuação dos Psicopedagogos se dá em consultório por meio de atendimento individualizado e com a família. Também atua nas instituições escolares junto aos docentes, tendo como foco das suas observações e intervenções as dinâmicas das relações interpessoais em sala de aula e da aprendizagem, ou atende, no contraturno, alunos com dificuldades de aprendizagem ou nas suas relações.

Na clínica o primeiro contato é com a pessoa que está enfrentando dificuldades de aprendizagem juntamente com a sua família que traz a queixa.

Neste encontro o profissional é colocado a par do que ocorre com a pessoa no momento presente e se dá o fechamento do contrato de atendimento para a avaliação. Assim sendo, são acordados o número e os dias dos encontros, os valores, os combinados sobre a frequência/ausência, a data do encontro com a entrevista familiar e do fechamento da avaliação.

O processo de investigação, de avaliação, se dá num período de 8 a 10 encontros, dependendo do caso.

Posteriormente ao processo de investigação, é realizado o encontro chamado “Informe Psicopedagógico” e, de acordo com o caso, apresentado o plano de tratamento.

 

 

P. Como é o tratamento?

 

R: O tratamento depende dos resultados da avaliação. Portanto, a sua duração dependerá dos resultados de uma série de ações e de fatores tais como o trabalho sistemático com a educação cognitiva e afetividade, as intervenções nas dinâmicas familiar e escolar, a necessidade de alguns acompanhamentos com outros profissionais, questão pertinente a cada caso, mas fundamentais para que se atinjam os objetivos esperados.

Para que se obtenha resultados efetivos, e sempre de acordo com o caso, normalmente é acordado com a família dois encontros semanais. Também serequer uma interação e sintonia entre o trabalho dos profissionais da escola, da Psicopedagogia e da família.

Durante as sessões são trabalhados os conteúdos escolares defasados e a cognição/afetividade por meio de jogos e outras atividades desafiadoras que motivem o aprendente a buscar alternativas e estratégias para superar os obstáculos e avançar na sua aprendizagem.

 

 

P. E quanto ao diagnóstico de dislexia, TDAH e outros distúrbios?

 

R: É muito importante ressaltar que o trabalho psicopedagógico tem caráter interdisciplinar, portanto, deve ser desenvolvido em sintonia com o trabalho da equipe multidisciplinar que, dependendo do caso, deve contar com Neurologista, Psiquiatra, Fonoaudiólogo, Otorrinolaringologista, Pedagogos,Psicomotricistas e Psicólogos- atendendo no processo de avaliação e de tratamento. Os Neurologistas ou Neuropediatras e os Psiquiatras são os responsáveis pelo fechamento do diagnóstico.

Portanto, não cabe a todos os profissionais da Psicopedagogia fechar um diagnóstico de distúrbios e transtornos de aprendizagem. Isto porque muitos deles não são profissionais da área da saúde.

Como a ação psicopedagógica está especificamente voltada para as questões afins à aprendizagem, à avaliação e intervenção nos fatores intervenientes na aprendizagem, como a cognição e a afetividade, os encaminhamentos necessários, a cada caso, deverão ser feitos aos profissionais da saúde mencionados acima.

Contate-nos: (21) 2411-3786  Cel: 97253-8932 / 98627-6769   /  Rua Engenheiro Trindade, 99A, sala 801, CEP 23050290 Campo Grande -  Rio de Janeiro, RJ